Nesta sexta-feira (23), mais de 50 emissoras de rádio de São Paulo assinarão os termos aditivos de adaptação das outorgas, migrando para o FM. Este é um dos últimos passos para a rádio começar a funcionar na nova frequência.

 

Depois da assinatura, a emissora deve fazer o projeto de instalação e obter a aprovação de local e uso de radiofrequência.

 

O mutirão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) já esteve nos estados de Santa Catarina, Minas Gerais, Paraná, Goiás, Tocantins e Rio Grande do Sul, e visa acelerar o processo de migração em todo o território nacional.

 

Quase 1500 rádios AM, das 1781 do país, solicitaram a migração para FM. Nesta primeira etapa, cerca de mil emissoras podem operar na faixa atual de FM, de 88 a 108 MHz. As demais rádios vão ter que esperar a conclusão da digitalização da TV para liberação da faixa estendida, que vai de 76 até 87 MHz.

 

A cerimônia de assinatura acontece no Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo de São Paulo, às 10h, e contará com a presença do ministro Gilberto Kassab e de representantes da ABERT.

 

A nossa rádio irmã, a Rádio Tambaú, será representada no evento pelo diretor José Carlos Bini, que também dirige a Difusora Casa Branca. As duas emissoras pertencem à Diocese de São João da Boa Vista e formam a Fundação Padre Donizetti.

 

Bini, assina o termo de migração do AM para o FM da Rádio Tambaú. Muito em breve, a emissora passará a transmitir seu sinal com mais qualidade no 107,1 FM.

 

Logo, será a vez da Rádio Difusora Casa Branca.

 

Fonte: RCR