Guará e ADPM novamente vão decidir um campeonato de futebol em Casa Branca (SP). Essa é a terceira decisão entre as duas equipes nos últimos anos. E os confrontos estão empatados em 1 a 1. A final é no domingo (22).

Para chegar à decisão, a vida de Guará e ADPM não foi fácil. Os times tiveram que se classificar na primeira fase para jogar as semifinais até conseguirem as vagas para a final.

O Guará terminou a fase de classificação em primeiro colocado com 22 pontos e enfrentou nas semifinais, o Palmeirinha, que havia terminado em quarto lugar. Já o Monte Sinai, classificou em segundo na tabela com 17 pontos, e enfrentou a terceira colocada ADPM.

As semifinais aconteceram na manhã do último domingo (15), no Estádio Municipal do Mogiana. O Guará jogava pelo empate por ter melhor campanha do que seu adversário. Mas os lobos não quiseram arriscar e fizeram 4 a 1 no Palmeirinha.

Logo em seguida, em uma partida tensa, Monte Sinai e ADPM fizeram um jogo emocionante. Apenas no primeiro tempo, a ADPM conseguiu fazer três gols.

Na segunda etapa, o jogo ficou acirrado. O Monte Sinai conseguiu diminuir o placar, marcando duas vezes. O time precisava apenas de mais uma bola na rede para se classificar, já que também jogava pelo empate por ter melhor campanha. Mas a ADPM conseguiu administrar a partida em 3 a 2 e garantir sua ida à mais uma final.

Confusão

Após o apito do árbitro indicando o fim da partida, uma confusão aconteceu. Nesta segunda-feira (16), o diretor de esportes de Casa Branca, Antônio Canato, explicou o ocorrido, no quadro Esporte Difusora.  “No final do jogo, algumas pessoas que estavam fora da área de jogo e alguns jogadores do Monte Sinai, correram até o árbitro e o agrediram fisicamente. Os seguranças que estavam no estádio, ‘conteram’ para que não houvesse mais danos físicos”, disse o diretor. Canato ainda declarou: “Eu também fui agredido por um jogador do Monte Sinai”.

Em conversa com a reportagem da Difusora, um membro do Monte Sinai, disse que o time e torcida ficaram nervosos com a arbitragem, que deu poucos minutos de acréscimos (3 minutos) e o jogo ficou parado por mais tempo do que o árbitro havido dado. E com o time fazendo pressão diante da ADPM, com o tempo correto de acréscimos, poderia empatar a partida. Ele conta que o árbitro ainda foi até o banco de reservas e disse: “Depois que acabar o jogo, se vocês quiserem brigar, podem vir”, contou o membro da equipe.

A Polícia Militar foi acionada e o árbitro fez um boletim de ocorrência. A Liga, que administra a competição, irá analisar os casos e posteriormente julgar os envolvidos.

A final do Campeonato Municipal de futebol Amador 2016 entre Guará e ADPM, será em jogo único, no próximo domingo (22), às 9h, no Estádio do Mogiana. A Difusora traz todas as informações da decisão na segunda-feira (23), no Jornal da Difusora, a partir das 12h15.