Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Política

Concessão é retirada da Câmara por faltar

Concessão é retirada da Câmara por faltar "parte principal" em projeto, diz presidente

Por: Weslen Máximo   Ouça a reportagem completa. Clique Aqui!   “A voz do povo é a voz de Deus”, foi assim que o vereador Rogério Mendes definiu a 11ª sessão da Câmara, após o presidente retirar a concessão de água e esgoto do legislativo, na noite desta terça-feira (4), por um pedido do próprio Rogério, que achou uma “brecha” no projeto de lei, no qual, falta uma minuta especificando “todas as atividades”. A minuta é um rascunho de um documento. O executivo deve reenviar o projeto à Câmara com as exigências solicitadas.    “Foi um erro do executivo. O executivo deve atentar a isso. Não é culpa da Câmara, mas é um erro que eu posso dizer: de principiante”, disparou o vereador.   O presidente Dr. Alberto Filho, diz que não pode ir contra a lei e por isso, retirou o assunto da Câmara. “Nós iniciamos a leitura do projeto e o vereador Rogério Mendes entrou com um pedido para ler uma parte do projeto que era obrigatória. Ao procurar essa parte, ela não estava dentro do projeto. Consultei a parte jurídica e realmente foi comprovado que o projeto está faltando a parte principal”, explicou.   Rogério Mendes e todos os vereadores que eram “contra” a concessão, foram aclamados pelo público, que lotou o auditório da Câmara. Já os vereadores que assumiram ser “a favor”, foram vaiados. O vereador Jacaré foi um dos últimos a deixar o plenário e foi agredido com um tapa na cabeça, dado por um cidadão que estava em meio a multidão no corredor. Pessoas que eram “a favor” da concessão também estiveram presentes na sessão e deixaram o prédio assim que os trabalhos do legislativo foram encerrados.   A segurança foi reforçada e viaturas da Polícia Militar permaneceram do lado de fora do prédio.   Votos dos vereadores Não aconteceu a votação, mas dois vereadores que disseram estar indecisos em entrevista à Difusora em 1º de junho, divulgaram sua opinião sobre o tema na noite desta terça. Dr. Alberto Filho é “contra” e Jacaré é “a favor” da concessão. Confira a opinião de todos os vereadores. Clique Aqui!   Caso a votação acontecesse nesta noite e nenhum vereador mudasse de opinião, a concessão seria aprovada por 6 a 4 votos. O presidente da Casa só vota caso a votação fique empatada.   Marco Cesar O prefeito ainda não se pronunciou sobre a decisão da Câmara. Ele deve falar nesta quarta-feira (5) com a reportagem da Difusora.   A favor Os vereadores que são “a favor” da concessão deixaram rapidamente o plenário da Câmara. Jacaré atendeu a reportagem e disse que gostaria da aprovação da concessão e destacou que a população deve comparecer em todas as sessões do legislativo.   Como fica? Segundo o presidente Dr. Alberto Filho, o projeto será enviado à prefeitura, que deve incluir a minuta que a Câmara exige, e a concessão deve ser reenviada ao legislativo para os tramites legais e votação. Não há data para a votação acontecer.   Jornal da Difusora Confira todos os detalhes e reportagem completa da 11ª sessão da Câmara, no Jornal da Difusora desta quarta-feira, às 12h15min.
Concessão: confira a opinião de cada vereador e palavra de Marco Cesar

Concessão: confira a opinião de cada vereador e palavra de Marco Cesar

Por: Weslen Máximo    Em Casa Branca (SP), não se fala em outra coisa, a não ser a votação da concessão de água e esgoto da cidade, que acontece às 20h, desta terça-feira (4), no plenário da Câmara Municipal. O Jornal Difusora exibiu uma edição especial sobre o assunto, trazendo entrevistas com os vereadores, prefeito e um especialista em saneamento básico.   Cada vereador divulgou sua opinião sobre o tema e revelou se é “a favor” ou “contra” a concessão de água e esgoto. A entrevista foi exibida primeiramente no dia 1º de junho de 2017 e reprisada nesta terça-feira, 4 de julho. É possível que alguns membros do legislativo tenham mudado de opinião desde a primeira vez que as declarações foram exibidas na Difusora.  Clique Aqui e Ouça!   Votos dos vereadores (segundo a entrevista para a Difusora em 1º de junho de 2017)   Professor Baiano – CONTRA Benê – CONTRA Dr. Alberto – NÃO SOUBE OPINAR Dr. Zé Renato – A FAVOR Jacaré – NÃO SOUBE OPINAR Jota – CONTRA Marcelo Galante – A FAVOR Marcus Azevedo – A FAVOR Minhoka – A FAVOR Rogério Mendes – CONTRA Rubens da Lagoa Branca – A FAVOR   Caso nenhum vereador mude de opinião, essa será a decisão de cada um sobre a concessão. Vale ressaltar que o presidente da Câmara só vota se houver empate. O vereador Jacaré pode votar “a favor” e a concessão ser aprovada por 6 a 4. Se ele votar contra, fica empatada em 5 a 5 e o presidente Dr. Alberto Filho desempata.   Prefeito Marco Cesar quer a concessão e continua com o discurso de que o sistema precisa de melhorias e a melhor alternativa é essa em questão, já que financiamentos estão praticamente descartados pelo governo. O valor da água também foi lembrado e o prefeito garante que se a concessão for aprovada, a tarifa não passará de R$ 30, 00m³.   Marco Cesar desconsidera a consulta pública realizada pela Câmara, que perguntou à população a opinião de cada morador sobre a concessão. Para o prefeito, essa consulta não tem validade. Ele explica o motivo. Ouça: Clique Aqui!   De acordo com a pesquisa, 168 pessoas opinaram. 143 disseram ser contra e 25 a favor.   Oposição O vereador Rogério Mendes diz que a maioria da população não quer que a concessão seja aprovada. Mendes revela que faltam respostas e transparência do executivo em relação ao projeto. “A falta de documentação é o motivo maior da não aprovação desse projeto”, conta.   Ele também revela uma alternativa para a situação da água e esgoto, sugerindo um projeto parecido com uma autarquia.   Ouça tudo o que Rogério Mendes falou em entrevista exibida nesta terça. Clique Aqui!   Especialista Exibida primeiramente em 10 de maio e repisada nesta terça, o elaborador do projeto de saneamento básico de Casa Branca, Benedito dos Santos Rodrigues, professor de pós-graduação de Engenharia Hidráulica e Saneamento Básico, especialista em Ciências Humanas e Antropologia, na Universidade de São Paulo (USP), campus São Carlos (SP), revela a atual situação que se encontra a cidade e distritos.   “Não está um caos a cidade, mas se não houver investimentos em curto prazo, o caos pode chegar”, disse.   Para ele, a concessão é a melhor forma de investir em curto prazo. Uma alternativa sem ser a concessão, pode existir em um projeto em longo prazo, mas o professor diz que a cidade não tem tempo. “O sistema pode entrar em colapso”, disse.   Ouça o especialista. Clique Aqui!   11ª Sessão Ordinária Apenas um assunto em pauta: a votação. A sessão é às 20h, na Câmara Municipal, que fica na Rua Barão de Casa Branca, 220 – Centro.   Como fica se for aprovada a concessão? Caso seja aprovada, um processo de licitação será aberto e a empresa ganhadora trabalhará por 30 anos no município, seguindo o que estará em lei no edital do contrato.