Por: Weslen Máximo 

 

Ouça a matéria. Clique Aqui!

 

Foi aprovada pela Câmara Municipal, durante a 6ª sessão ordinária, realizada nesta terça-feira (18), a consulta pública referente à concessão do serviço de água e esgoto de Casa Branca (SP). O assunto gerou bate-boca entre vereador e auditório; e a sessão teve que ser paralisada por cinco minutos.

 

Até o momento de ser votada, a sessão acontecia normalmente. Os vereadores pediram explanação. O vereador Dr. José Renato, disse que a concessão tem que ser votada logo, pois o legislativo já teve tempo hábil para análises do projeto ou buscar alternativas. “Os vereadores já participaram de várias audiências públicas. A problemática de água de Casa Branca é muito séria. Nós precisamos resolver e não esperar mais quatro anos para outro prefeito resolver... Chega de jogar fezes nos rios de Casa Branca”, disse. “Tecnicamente, nós temos conhecimento [do assunto]”, complementou.

 

Marcelo Galante também pediu a palavra e disse que o requerimento de consulta pública é oportunista da oposição. “Transferir responsabilidade para aqueles que não têm uma decisão técnica formada. Essa é a grande verdade!”. Ele ainda falou em criar uma votação sobre os subsídios dos vereadores e foi interrompido pelo presidente da casa Dr. Alberto Filho, alegando que Marcelo estava fugindo do tema.

 

Para Rogério Mendes, a consulta pública é a melhor forma de ouvir e saber qual a opinião dos casa-branquenses. “Essa ferramenta será simplesmente de uma forma democrática, equilibrada... Nós temos essa ferramenta para fazer a consulta popular. O assunto aqui é ouvir o que a população pensa”, explicou o vereador. Ele ainda foi aplaudido pelo auditório após dizer que os moradores podem conhecer do assunto “dez vezes mais”, do que ele.

 

Ao se manifestar, o público presente desrespeitou uma lei que proíbe qualquer tipo de manifestação do auditório durante a sessão. Inclusive, houve mais manifestações dos espectadores em outros momentos. Até um bate-boca aconteceu, quando José Cláudio Martins (Jacaré), exigiu respeito do público e o cumprimento da lei interna da casa. Um cidadão levantou-se no auditório e começou a discutir com esse vereador. O presidente da Câmara paralisou a ordinária por cinco minutos até que a ordem fosse restabelecida.

 

Após o tempo determinado, a sessão retornou normalmente e prosseguiu a votação da consulta pública. Com exceção dos vereadores Rubens Scapin e Dr. José Renato, que votaram contra, o requerimento foi aprovado.

 

A consulta pública será feita através do portal da transparência, no site www.camaracasabranca.sp.gov.br.  Ainda não foi divulgada uma data para iniciar. Na consulta, a população poderá dizer se é a favor ou contra a concessão no serviço de água e esgoto de Casa Branca.

 

Palestra

Também foi aprovada uma palestra para os vereadores e moradores da cidade com Benedito dos Santos Rodrigues, professor de pós-graduação de Engenharia Hidráulica e Saneamento, da Universidade de São Paulo (USP), campus de São Carlos (SP); especialista em Ciências Humanas e Antropologia. Também não há data para a realização do evento.

 

Concessão

Desde o final do ano passado, deu-se ênfase ao projeto da concessão, tanto pelo legislativo quanto para o executivo, mídia e população. 

 

O executivo (idealizador do projeto) diz ser a melhor opção para melhorar a estrutura e o abastecimento de água e esgoto, em Casa Branca. A comissão de finanças, que analisa o projeto na Câmara, porém, pede mais tempo para análises, audiências e, agora, consulta pública.

 

O que a prefeitura e vereadores concordam, é que a situação “sucateada” do serviço de água e esgoto em Casa Branca, não pode continuar.