Por: Weslen Máximo 

 

Ouça a entrevista na íntegra. Clique Aqui! 

 

Na quinta-feira (6), a Santa Casa de Misericórdia de Casa Branca (SP), rescindiu o contrato do Doutor Alberto Zogbi Filho, que prestava serviços como clínico geral. Ele também é vereador e presidente da Câmara Municipal, que na terça-feira, retirou de pauta a votação da lei do edital da concessão de água e esgoto. O assunto gerou polêmica na cidade e movimentou as redes sociais. Muitos cidadãos criticam a decisão da Santa Casa.

 

A Rádio Difusora entrevistou na manhã desta sexta-feira (7), a diretora do departamento de saúde, Sônia Camargo, que explicou o motivo da rescisão. “Foi um apontamento do tribunal de contas porque a quantidade de consultas que a gente estava pagando para ele, ta chocando exatamente com a carga horária que ele presta como concursado na prefeitura. Não só ele, outros médicos também já tiveram salários descontados no mês de março, em virtude de já terem um contrato de 40 horas com a prefeitura e fazer menos horas. Então, o tribunal de contas está apontando o recebimento em duplicidade, porque é impossível estar em dois ou três lugares ao mesmo tempo; e por não estar respeitando o contrato de trabalho da prefeitura, que prevê 40 horas semanais, conforme edital do concurso”, contou.

 

A diretora ainda revelou que todos os médicos nessa situação, já tiveram seus salários descontados e eles readequaram a carga horária de trabalho. Também será alterada a forma de contrato dos médicos e, segundo ela, vários desses profissionais sinalizaram que não pretendem continuar com o serviço na Santa Casa, ou seja, não irão renovar os contratos. A diretora disse também, que estará contratando mais médicos e que os pacientes não serão prejudicados.

 

A Santa Casa está sob intervenção e a prefeitura é quem administra a entidade. O Dr. Alberto, que também é presidente da Câmara Municipal, teve seu contrato com a Santa Casa rescindido dois dias após ele tirar de pauta da 5ª sessão ordinária, na terça-feira (4), a votação da lei do edital da concessão de água e esgoto da cidade, que de acordo com a prefeitura, é a melhor alternativa para Casa Branca se reestruturar e obter um melhor serviço de abastecimento e tratamento de água e esgoto. A diretora Sônia Camargo respondeu à Difusora se o fato do Dr. Alberto tirar de pauta a votação, teria influenciado nessa rescisão.

 

“Da nossa parte, posso garantir que não!”, conta ela, que complementa: “esse tipo de problema não nos afeta porque nós estamos tranqüilos com relação a isso. Há pessoas fazendo uso político, sim, mas posso garantir que essa administração não está fazendo”, finaliza a diretora.

 

Em nota, a prefeitura diz que o médico continua com o atendimento na saúde da mulher.

 

Leia na íntegra a nota da prefeitura de Casa Branca, postada em sua página no Facebook:

 

“A Santa Casa e a Prefeitura de Casa Branca esclarecem que a rescisão contratual do médico Dr. Alberto se deu por orientações do Tribunal de Contas do Estado. Esse Tribunal, organismo que fiscaliza as contas públicas, detectou que o médico estaria recebendo salário para prestar 40 horas de serviços semanais, somente nessa unidade, fora os seus outros locais de trabalho, prática impossível para qualquer profissional.

 

O Tribunal apontou que possivelmente estejam sendo feitos atendimentos pelo médico no mesmo horário em locais diferentes de trabalho. Caberá ao profissional agora apresentar suas justificativas junto aos órgãos competentes. Cabe salientar que o profissional em questão não foi afastado do seu trabalho junto à Saúde da Mulher da Prefeitura, onde deverá cumprir sua carga horária de 40 horas semanais sob pena de sofrer sanções previstas na lei.

A população não será prejudicada com a demissão já que serão contratados em caráter de urgência dois médicos para substituir o profissional. Continuaremos trabalhando para oferecer o melhor serviço para a população de Casa Branca”.

 

O prefeito de Casa branca, Marco Cesar (PR), comentou a situação numa publicação em um grupo, no Facebook. Leia na íntegra:

 

Oi pessoal, aqui é o prefeito. Estou na estrada voltando de Brasília, onde tudo correu muito bem pra nossa cidade e fui informado por telefone do caso Dr. Alberto. O médico não foi demitido. Ele teve um contrato de prestação de serviços não renovado com a Santa Casa, que passa por uma moralização, após tantas tragédias que por lá passaram, porque ele trabalha em dois locais ao mesmo tempo e isso é crime trabalhista.

 

Ele é concursado na Saúde da Mulher para trabalhar 40 horas semanais e recebe da Prefeitura pra isso e ao mesmo tempo tem um contrato com a Santa Casa, o que foi suspenso, onde ganha mais 20,00 reais por consulta. O TCE aponta isso como irregularidade e, a administração da Santa Casa não pode pagar por isso. Podem, inclusive, ser processada junto com o prefeito.

 

O médico Dr. Alberto recebia até dezembro do ano passado R$ 16 mil por mês para dar plantão a distância na Maternidade, mais R$ 24 mil por mês para dar atendimento na Saúde do Idoso e do Adulto, mais R$ 4 mil como concursado na Saúde da Mulher e ainda atende em Tambaú, Palmeiras e Tapiratiba.

 

Vejam que isso é praticamente impossível. Trabalhar em 2 ou 3 lugares ao mesmo tempo. Pior, é crime trabalhista. As gestoras da Santa Casa estão certas e eu estou com elas. Se quiserem ir a Prefeitura pra bater panela ou falar com o prefeito serão todos bem vindos. Daremos todas as explicações, mas saibam que estão apoiando uma ilegalidade”, comentou Marco César.

 

Moradores da cidade fizeram na tarde desta sexta-feira (7), uma manifestação em apoio ao Dr. Alberto, em frente à prefeitura. O médico esteve presente. 

 

A reportagem da Difusora entrou em contato com o Doutor Alberto Zogbi Filho, para ouvir o que ele tem a dizer sobre o fato, mas ele não estava disponível até o momento dessa publicação para nos conceder uma entrevista. O jornalismo da Difusora continua tentando o contato para agendar uma entrevista com ele, e se formos atendidos, na próxima semana, será exibida no Jornal da Difusora.

 

O Jornal da Difusora vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 12h15min, ao vivo, na Radio Difusora.

 

Sugestões de pautas, entre em contato com o departamento de jornalismo da Difusora – 19 3671 2101/ WhatsApp: 19 98227 2626.