Professor e ex-prefeito é nova vítima fatal da covid em Casa Branca

06/02/2022

11:53:08 AM

Saúde

Por: Weslen Maximo


Professor Geraldo Majella Furlani foi ex-prefeito de Casa Branca na década de 80 (Foto: Divulgação)


Casa Branca (SP) confirmou na manhã desta quinta-feira (2), uma nova morte por Covid-19. O município não registrava óbito em decorrência do vírus desde 14 de março.

A vítima mais recente é o ex-prefeito Geraldo Majella Furlani, de 93 anos, que teve óbito confirmado nesta quarta-feira (1), segundo familiares. A prefeitura de Casa Branca decretou luto oficial de três dias.

Geraldo Majella Furlani foi sepultado na tarde desta quarta no cemitério municipal.

Com o óbito, a cidade soma 116 desde o início da pandemia. Até o momento, são 64 casos positivos ativos, sendo que duas pessoas estão internadas no hospital de campanha.


Biografia

Formado em História e Geografia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, realizou diversos cursos de especialização na área e, em 1980, concluiu o Mestrado em Geografia na USP.

Paralelamente aos estudos de pós-graduação, exerceu a função de professor de geografia em escolas públicas e particulares de várias cidades da região, como São João da Boa Vista (no Colégio Santo André, na década de 1950), Vargem Grande do Sul, Tambaú, São José do Rio Pardo (inclusive na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras), Mococa e Casa Branca, onde se aposentou em 1982.

Apaixonado por futebol e ágil nas jogadas, atuou profissionalmente em times de Campinas, Vargem Grande do Sul e São João da Boa Vista, mesmo após formado. Em 1982 ingressou na política, no cargo de vice-prefeito e, depois, como prefeito de Casa Branca (1989-92). Pertenceu à Associação dos Geógrafos Brasileiros; ao Centro de Estudos Euclides da Cunha, de São Paulo; ao Grêmio Euclides da Cunha, de São José do Rio Pardo, bem como participou do Ciclo de Estudos Euclidianos desta última cidade.

Por mais de cinquenta anos participou ativamente da Sociedade São Vicente de Paulo de Casa Branca, onde ocupou o cargo de presidente. Recebeu da Câmara Municipal dessa cidade os diplomas de Honra ao Mérito e de Mérito Comunitário, bem como o Troféu Jabuticaba (meio ambiente).

Foi também homenageado na Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto.

Pertence ao grupo dos fundadores da ALSJBV, à qual foi apresentado por Octávio Pereira Leite e eleito pelos demais acadêmicos. Tomou posse na sessão solene de 15.11.1971, ocupando a Cadeira 27, para a qual escolheu como patrono o escritor Gastão Cruls. Em 28.05.1982 passou para a categoria de membro correspondente.

Publicações

Suas principais obras são: A geografia de Os Sertões (Casa Euclidiana, 1969); As boçorocas de Casa Branca (separata da Revista Logos, da FFCL de São José do Rio Pardo, 1970); Estudo geomorfológico das boçorocas de Casa Branca (Dissertação de Mestrado, 1980) e O município de Casa Branca (1987; 2003). Tem artigos publicados em jornais leigos e revistas científicas, com temas sobre geografia e literatura, inclusive fazendo uma interlocução entre ambas as áreas, como em "Euclides - Terra e Homem" (Casa Euclidiana de São José do Rio Pardo, 1975), "Aspectos ecológicos em Os Sertões", "O homem e a luta: traços geográficos", “Machado e Euclides” (todos no jornal Gazeta do Rio Pardo). Produziu o vídeo Os Sertões de Canudos (1986), com imagens do local onde foi travada a batalha de Canudos, no sertão baiano.

Fonte: Academia de Letras de São João da Boa Vista

 

Compartilhe